Categories
Autism

Autism is not a disease

Unfortunately, there is still the idea that Autism is a disease. It is not. Autism is a neurological developmental condition, which means that our brain is slightly different compared to that of neurotypics.

Autism is lifelong, but with support and therapy we can overcome difficulties and have jobs and friends. However, it is a spectrum and we all have different difficulties.

This is important because much of the effort in recent years has been to seek “cures” instead of understanding how to support and help autistic people to verbalize, socialize and manage/overcome their difficulties.

Many of the biggest difficulties, such as intellectual disability, are co-morbidities (conditions other than Autism), not Autism itself.

We have to finance more support for families, more therapies for autistic people and create a more tolerant society. It can be difficult to accept Autism as part of someone we love, but stigmatizing it will only make families and the autistic person feel isolated.


Porde ver mais posts no Instagram @autismoemportugues

Infelizmente ainda se tem a ideia que o Autismo é uma doença. Não é.

O Autismo é uma condição neurológica de desenvolvimento, o que significa que o nosso cérebro é ligeiramente diferente comparado com o dos neurotípicos.

O Autismo fica para a vida toda, mas com apoio e terapia podemos ultrapassar dificuldades e ter emprego e amigos. No entanto, é um espectro e todos temos dificuldades diferentes.

Isto é importante porque muito do esforço nos últimos anos foi em procurar “curas” em vez de compreender como apoiar e ajudar os autistas a verbalizar, socializar e gerirem/ultrapassarem as suas dificuldades.

Muitas das maiores dificuldades, como deficiência intelectual são co-morbidades (outras condições para além do Autismo), não o Autismo em si.

Temos que financiar mais apoio para as famílias, mais terapias para autistas e criar uma sociedade mais tolerante.

Pode ser difícil aceitar o Autismo como parte de alguém que amamos, mas estigmatizar apenas irá fazer com que as famílias e o próprio autista se sintam isolados.

Categories
Autism

Masking in Autism

Masking or camouflage is when the autistic person observes and analyzes the behavior of others and imitates them, to hide difficulties in socialization.

It can be used by men and women, however, due to the dynamics and expectations of women in society, it is easier for them to mask and is one of the main diagnostic difficulties. However, camouflaging our features is tiring and can make it difficult to recognize versions of us that we built, and the real version, giving rise to a poorly defined “I”.

Our identity is important and the lack of it can affect the way we see ourselves and even cause mental problems. It is not a conscious choice, nor is it an attempt to be false or to manipulate.

It is a strategy to deal with the fact that we are different and for integration into society. We have to give space in society for autistic people to be who they are, without masking or having to apologize.


Mascaramento ou camuflagem, é quando o autista observa e analisa o comportamento dos outros e os imita, para esconder dificuldades de socialização.

Pode ser usado por homens e mulheres, no entanto, devido à dinâmica e expectativas da mulher na sociedade, é-lhes mais fácil mascarar e é uma das principais dificuldades de diagnóstico.

No entanto, camuflar os nossos traços é cansativo e pode fazer com que seja difícil reconhecermos versões de nós construídas, e a versão real, originando um “eu” pouco definido. A nossa identidade é importante e a falta dela pode afectar a forma como nos vemos e até causar problemas mentais.

Não é uma escolha consciente, nem uma tentativa de sermos falsos ou manipular. É uma estratégia para lidar com o facto de sermos diferentes e para a integração na sociedade.

Temos que dar espaço na sociedade para autistas serem quem são, sem mascaramento ou ter que pedir desculpa.

Categories
Autism

I Suspect I am Autistic. What now?

If you have read the typical features of Autism and identified yourself in many of them … What now?

1. Take the Autism test to get a better idea of ​​the characteristics and to validate your suspicions. You can do it by following this link – The Ritvo Autism Asperger Diagnostic Scale-Revised (RAADS-R) or The Autism Spectrum Quotient (AQ). If you think your child might be autistic, check the video in this link.

2. If the test gave an average similar to those with autism, start reading about the traits’ particularities, in children (you can check the video in the point 1), adolescents and adults, as the traits vary in intensity and type according to age.

3. Join online groups of autistic people on Facebook and follow autistic people on social networks (you can find autistic voices online through the tag #actuallyautistic. Ask questions. Sometimes we have traits that we didn’t even know, because we thought that everybody felt that way. If the autistic person is your child, ask adult autistic people questions about when they were children. It is a very important resource since we sometimes have similar difficulties that we have already learned in how to deal with.

4. Make a list of these characteristics. Try to use specific personal experiences, for example, “when I was a child I opened Christmas presents but never played with them after”.

5. Look for a specialist specific to your case. If you are a woman or adult, look for someone with experience in assessing these cases. Unfortunately, some psychologists may have had only an introduction to Autism and without experience they may misdiagnose with mental illnesses, such as generalized anxiety or depression.

6. Continue to explore who you are. Many of us have spent years feeling that we are not enough, for comparing ourselves to neurotypicals but being different. The autistic brain is too beautiful and complex to restrict ourselves from trying to be like others.

Any questions you have about steps to take, or even about Autism in general, please ask. In the comments or private message (in @autismoemportugues) if you prefer.


Se leu os traços típicos do Autismo e se identificou em muitos deles…
E agora?

1. Faça o teste do Autismo para ter melhor ideia das características e para validar as suas suspeitas. Podem fazer seguindo este link – The Ritvo Autism Asperger Diagnostic Scale-Revised (RAADS-R) ou O Quociente do Espectro do Autismo (teste AQ). Se acha que o seu filho/a pode ser autista, vejoa o vídeo neste link (infelizmente, só em inglês).

2. Se o teste deu uma média semelhante a autistas, comece a ler sobre as particularidades dos traços, em criança (pode ver o vídeo do ponto 1), adolescente e adulto, visto que os traços variam em intensidade e tipo consoante a idade.

3. Junte-se a grupos online de autistas no Facebook e siga autistas nas redes sociais (pode encontrar vozes autistas online através de #actuallyautistic ). Faça perguntas. Por vezes temos traços que nem sabíamos ter, por pensarmos que toda a gente se sentia dessa forma. Se o autista for o seu filho/a, faça perguntas a autistas adultos sobre quando eles eram crianças. É um recurso importantíssimo visto que por vezes temos dificuldades semelhantes que já aprendemos em como lidar.

4. Faça uma lista dessas características. Tente usar experiências específicas pessoais, por exemplo, “quando eu era criança abria os presentes de Natal mas nunca brincava com eles a seguir”.

5. Procure um especialista específico para o seu caso. Se for mulher ou adulto, procure alguém com experiência na área. Infelizmente alguns psicólogos podem ter tido apenas uma introdução ao Autismo e sem experiência podem diagnosticar erradamente doenças mentais, como ansiedade generalizada ou depressão.

6. Continue a explorar quem é. Muitos de nós passámos anos a sentir que não somos o suficiente, por nos compararmos a neurotípicos mas sermos diferentes. O cérebro autista é bonito e complexo demais para nos restringirmos a tentar ser como os outros.

Alguma questão que tenham sobre passos a seguir, ou mesmo sobre o Autismo em geral, por favor perguntem. Nos comentários ou mensagem privada (em @autismoemportugues) se preferirem.

💕

Categories
Autism

Stimming

Stimming are repetitive self-stimulation behaviors and can be: shaking hands, touching hair, shaking the body, biting the inside of the lip, spinning, singing, etc.

Everyone has some of these behaviors, especially in children or when we are stressed, but Autistic people tend to do it more often and while after adults.

Although their purpose is not yet known, the autistic community says it helps them to calm anxiety, generate awareness of their own bodies, to focus on or deal with external stimuli, such as sensations and emotions that they have difficulty processing.

In general, they are movements for regulation, emotional and sensory management and extremely important for autistic people. Some therapies try to remove stimming from autistic people through punishment, which can lead to trauma. Unless Stimming hurts the autistic or others (in which case it can be managed and redirected to a non-harmful one), it is essential for regulating ourselves.


Stimming são comportamentos repetitivos de auto-estimulação e podem ser: abanar as mãos, mexer no cabelo, balançar o corpo, morder o interior do lábio, rodopiar, cantar, etc.

Todos temos alguns destes comportamentos, principalmente em crianças ou quando temos stress, mas autistas tendem a os fazer mais frequentemente e em adultos.

Apesar de ainda não se saber exactamente o seu propósito, a comunidade autista diz que os ajuda a acalmar a ansiedade, gerar consciência do próprio corpo, a focarem-se ou a lidar com estímulos externos, como sensações e emoções que têm dificuldade em processar.

Em geral, são movimentos para a regulação e gestão emocional e sensorial e extremamente importantes para os autistas.
Algumas terapias tentam retirar o stimming dos autistas através de punições, o que pode levar a trauma.
A não ser que o Stimming magoe o autista ou aos outros (e nesse caso pode ser gerido e redireccionado para um não nocivo), é essencial para a regulação de nós próprios.

Categories
Autism Conversations

Actually Autistic Meme thread

#actuallyautistic Memes Day! (actuallyautistic is a community online to give visibility to autistic voices) Nothing tells us we can’t fight for acceptance AND have fun.

Brief explanation: Auditory processing disorder is a hearing disorder where we have trouble processing speech.

x

Brief explanation: in general Autistic people don’t want a “cure” to push on us. Autism is part of who we are. We want support and understanding. 


Dia para memes #ActuallyAutistic (comunidade para partilha de vozes autistas)

Nada nos diz que não podemos lutar por aceitação E divertirmos-nos.

Como talvez saiba o nosso Instagram é em inglês, mas para haver uma plataforma portuguesa de um Autista para Autista decidi criar o @autismoemportugues no Instagram. Irei lá colocar memes, informação e dados.

Breve explicação: Desordem de processamento auditivo é quando temos dificuldade em processar discurso, a fala
Em geral os autistas não querem uma cura a ser empurrada para eles, queremos aceitação e apoio. O Autismo faz parte de quem somos.