Categories
Autism

A new show – Dinosaur BBC

Remember me telling you there was a BBC being prepared where they were looking for an autistic actress?

Well.. it was announced! It will premiere in 2022

Image from: https://www.comedy.co.uk/online/dinosaur/

Ashley Storrie, comedian and autistic, will portrait Nina:

“Nina is Autistic, but yet to be diagnosed. Nina’s always felt different – and often made to feel it by her family. But Nina finds happiness in the world thanks to her love of palaeontology, and she’ll spend all the time she can indulging in the exhibitions on dinosaurs and fossils at the local museum.

When her bubbly younger sister, Evie, asks Nina to be her maid of honour, Nina decides to step out of her comfort zone with a challenge: to find herself a date to bring to the wedding. Nina’s never been too bothered by dating before but after her sister’s engagement, she’s curious: what’s the big fuss all about? If everyone says love is so difficult, why does everyone want it all the time? She’s determined to find out for herself once and for all.

Tackling the terrors of dating apps, and armed with makeup tips and unintended pickup lines from Evie and the internet, Nina pursues a date with nerdy but endearing Lee. After a bumpy start the pair soon hit it off over a common love of fan fiction and Nina even agrees to send him some of her own work. However, things quickly start to get confusing when Nina finds Lee doesn’t quite seem as interested in chatting after the date ends…

Smarting from unanswered texts and feeling slightly side-lined at Evie’s engagement party, Nina decides to confide in her older brother, Bo, in search of advice. However, the recently dumped Bo quickly makes his feelings known that Nina is way out of her depth; the trials and tribulations of dating are not worth her time. Nina is frustrated. When everyone else is lying and playing games, why does it feel like she’s the odd one out in the dating charade?

When Nina bumps into Lee on her way home, will she take her brother’s advice or will she be herself and let Lee know exactly how she feels? Could Nina shake up the unspoken rules of modern dating or is her foray into romance about to get even more confusing…”

I have to say.. I can’t wait!!! This ticks (for now) all the boxes for representation and I’m very excited.


Uma nova Serie na BBC – Dinossauro

Lembram-se de eu dizer que estava a ser preparada uma serie na BBC onde procuravam uma atriz autista?

Bem … foi anunciado ! Vai estrear em 2022.

This image has an empty alt attribute; its file name is image-1.png

Ashley Storrie, comediante e autista, retratará Nina:

“Nina é autista, mas ainda não foi diagnosticada. Nina sempre se sentiu diferente – e muitas vezes a família a fez sentir isso. Mas Nina encontra felicidade no mundo graças ao amor pela paleontologia, e ela passará todo o tempo que puder a se entregar às exposições sobre dinossauros e fósseis no museu local.

Quando a sua alegre irmã mais nova, Evie, pede a Nina para ser sua madrinha de casamento, Nina decide sair de sua zona de conforto com um desafio: encontrar um par para trazer para o casamento. Nina nunca se preocupou muito em namorar antes, mas depois do noivado de sua irmã, ela está curiosa: qual é o problema? Se todos dizem que o amor é tão difícil, por que todos o querem? Ela está determinada a descobrir por si mesma de uma vez por todas.

Enfrentando os terrores das aplicacoes de namoro e munida de dicas de maquilhagem e falas de Evie e da internet, Nina procura um encontro com o nerd, mas cativante Lee. Depois de um começo acidentado, a dupla logo se deu bem por causa de um amor comum por fanfiction e Nina até concorda em lhe enviar alguns de seus trabalhos. No entanto, as coisas começam a ficar confusas quando Nina descobre que Lee não parece tão interessado em conversar após o término do encontro …

A sofrer com as mensagens não respondidas e ao sentir-se um pouco marginalizada na festa de noivado de Evie, Nina decide confiar no seu irmão mais velho, Bo. No entanto, Bo rapidamente revela seus sentimentos de que Nina está fora da sua zona de conforto; as provações e tribulações do namoro não valem o seu tempo. Nina fica frustrada. Quando todo mundo está a mentir, por que parece que ela é a única estranha?

Quando Nina encontra-se Lee no caminho para casa, ela seguirá o conselho do irmão ou será ela mesma e dirá a Lee exatamente como se sente? Será que Nina pode abalar as regras tácitas do namoro moderno ou sua aventura no romance está prestes a ficar ainda mais confusa … “

Devo dizer … mal posso esperar !!! Isto marca (por enquanto) todas as caixas de representação e estou muito entusiasmada.

Categories
Autism

Autistic representation in movies and TV shows

Although 20% of the population has some kind of disability, 95% of the roles with disabled characters are played by actors without disabilities. So I decided to make a small list about autistic representation in movies and TV shows, to talk about the importance of the inclusion of our voices in their development.

Here are the ones I know:

1 – Everything’s gonna be okay – this is probably the best one. There’s the fantastic Kayla Cromer, who is autistic, as an autistic character, and it’s about their lives, not her autism. It is the best example of representation done right.

2 – She-Ra and the Princesses of Power – a cartoon that has an autistic female characters named Entrapta. I haven’t seen it yet, but online I have seen very good reviews. An autistic person was involved in its creation.

3 – Pablo – a cartoon written by autistic people about an autistic boy equipped with crayons and his creativity, draws an imaginary world where his animal pals help him tackle real-life situations.

3- Aspergers are us – despite being a documentary, I found it very interesting because it follows a group of autistic comedians. However, it focuses on men again.

4- Curious incident of the dog in the night-time – the play (now has Mickey Rowe, an autistic man as protagonist). However, the book was not written by someone with autism and it is centred on a boy, and a little stereotypical.

5- The Queen’s Gambit – yes, this one nowhere says she is autistic, but everyone we saw said that we identified a lot. There are several characteristics that cannot be allocated to trauma and that are very common in autistic women. As it is not something about Autism and the name is not spoken, we do not feel the need for an autistic protagonist so much, because they are not trying to tell our stories, but in terms of identification it is very good.

https://valneil.com/2020/10/30/accidentally-autistic-the -queens-gambit /

6- Temple Grandin: I know the Temple Grandin film, and although the actress is not autistic, there was a huge involvement of Dr. Temple in the film, including her in writing the script. I even met Dr. Temple Grandin and she really likes the film since she was in control of how her own story was told, but most films are used to either inspire or terrify.

There are several films and series that despite not talking about autism, the character seems almost certainly to be on the spectrum: Sheldon Cooper from Big bang theory, Abed from Community, Brick Heck from The Middle, Amelie from the movie Amelie, and Dr. Temperance Brennan de Bones. Of course, although we can identify with some situations, none was written by an autistic person, for autistic people, and therefore none really makes a good representation (although Brick Heck was actually based on an autistic child).

Finally, there is also the characters that are autistic but do not have autistic writers or actors in the production, so they end up being more stereotypical, like the first season of Atypical, Rainman, The Night Clerk, The Good Doctor (Atypical hired autistic consultants and actors after season 1).

I apologize for the long text, but I really tried to include everything I knew. There are many more but in fact representation disappears for stereotypes. As you can see, there is not a lot of autistic representation done right.

However, the BBC was looking for an autistic actress for a series about a woman in her 20s who doesn’t know she is on the spectrum. I look forward to it being done and coming out.


Representatividade autista em filmes e séries


Embora 20% da população possua algum tipo de deficiência, 95% dos papéis com personagens com deficiências são interpretados por atores sem deficiência. Resolvi então fazer uma pequena lista sobre a representação autista em filmes e séries de TV, para falar sobre a importância da inclusão de nossas vozes no seu desenvolvimento.

Aqui vão os que eu conheço:

1 – Everything’s gonna be okay (série)– este é provavelmente o melhor. Tem a fantástica Kayla Cromer, autista, como autista, e é sobre as suas vidas, não sobre o seu autismo. É o melhor exemplo de representatividade.

2 – She-Ra e as Princesas do Poder (séries)- desenho animado que apresenta uma personagem feminina autista chamada Entrapta. Ainda não vi, mas online tenho visto críticas muito boas. Uma pessoa autista estava envolvida em sua criação. 

3 – Pablo (séries)- um desenho animado escrito por autistas, sobre um menino autista, um desenho animado escrito autistas sobre um menino autista de 5 anos equipado com giz de cera e sua criatividade, desenha um mundo imaginário onde seus amigos animais o ajudam a enfrentar situações da vida real.

3- Aspergers are us (documentário)– apesar de ser um documentário, achei bastante interessante porque segue um grupo de autistas comediantes. No entanto, foca-se novamente nos homens.

4- O Estranho Caso do Cão Morto (teatro)- A peca de teatro tem agora Mickey Rowe, autista, como protagonista. No entanto o livro não foi escrito por alguém autista e é centrado num menino, e muito estereotípico.

5- The Queen’s Gambit (série)– sim, este em nenhum lado diz que ela é autista, mas eu identifiquei-me imenso. Existem diversas características que não podem ser alocadas ao trauma e que são muito comuns nas mulheres autistas. Como não é algo sobre o Autismo e o nome nem é falado, não sentimos tanto a necessidade de uma protagonista autista, porque não estão a tentar contar as nossas historias, mas em termos de identificação é muito bom.

6- Temple Grandin (filme)- o filme sobre a vida da Temple Grandin, e apesar de a atriz não ser autista, houve um enorme envolvimento da Dra. Temple no filme, incluindo-a no escrever do guião, coisa que a Sia não fez. A Dra. Temple Grandin gosta bastante do filme visto que teve controlo de como a sua própria historia foi contada.

Existem diversos filmes e séries que apesar de não falarem em autismo, a personagem parece quase de certeza estar no espectro: Sheldon Cooper de Big bang theory, Abed de Community, Brick Heck de The Middle, Amelie do filme Amelie, e Dra. Temperance Brennan de Bones. Claro que apesar de podermo-nos identificar com algumas situações, nenhum foi escrito por um autista, para autistas, e portanto nenhum faz realmente uma boa representação (apesar de Brick Heck ter sido realmente baseado num autista). Existem muitos mais mas de facto a representação desaparece para estereótipos.

Por fim, há também os personagens que são autistas, mas não têm escritores ou atores autistas na produção, e acabam por ser mais estereotipados, como a primeira temporada de Atypical, Rainman, The Night Clerk, The Good Doctor (Atypical contratou consultores e atores após a 1ª temporada).

A BBC no entanto estava há uns meses a procurar uma actriz autista para uma série sobre uma mulher nos 20s que não sabe que esta no espectro. Estou ansiosa para que seja feito e que saia.